Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Uma verdade absoluta...

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Um animal sofre em silêncio....




Sinceramente estou cansada de todos os dias saber de vários crimes cometidos contra os animais e os agressores não sofrerem nada, ou se sofrem são essas penas fracas e brandas que existe no nosso País!
O humano (que pra mim é mais um desumano) merece sofrer na pele o que fez, basta com a Impunidade humana!
Quando o povo vai acordar e entender que nós temos que fazer alguma coisa? não só exigir Leis mais severas, mas ficar de olho cobrando e fazendo a Lei ser cumprida, sim porque ainda existe momentos que ela não é cumprida!
Quer dizer que o infeliz comete Zoofilia com um ser inocente e não acontece nada? pra mim Zoofilia é tão cruel quanto a Pedofilia para com as crianças, esses seres não merecem só apodrecer na cadeia, merecem sofrer pelo ato criminoso que cometeram!
Por isso digo, penso que o ser desumano vai precisar provar da mesma dor,  e que aquele ditado é muito certo: o ser humano não aprende com amor só com a dor!




sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Hoje, Resgatei um Ser Humano...


quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Um texto Lindo e verdadeiro by Luana Michels

Não tive como não postar um texto que retrata uma verdade e consciência para todos os cidadãos do planeta, que ainda não aprenderam o que é o amor, que ainda cometem atrocidades com os animais! Precisamos ser as vozes dos animais para que um dia ainda exista uma sociedade justa para com todos os seres vivos que vivem nesse mundo tão injusto!

Quanto mais uma pessoa ajuda os animais, melhor ela se torna, pois afirmar que se faz parte do grupo da proteção animal é apenas uma maneira simplificada de referir que se ajuda seres vivos, sejam eles animais ou pessoas. Ajudar animais é fazer centenas de famílias felizes, doar animais é levar alegria aos lares, é tocar o coração das pessoas, possibilitando que elas se tornem tanto mais sensíveis e solidárias quanto mais éticas e responsáveis. 
Mas é muito mais do que isso, é levar amor, felicidade e união aos lares, tendo como exemplo os pais que pretendem adotar um animal a fim de dar um amigo ao seu filho, buscando sua felicidade e o desenvolvimento de sua responsabilidade e interação, ou mesmo quando uma pessoa em depressão, por indicação de seu médico, procura no animal um conforto, uma companhia e, até mesmo, sua cura. Da mesma forma, pessoas idosas - muitas vezes abandonadas por suas próprias famílias - procuram nos animais uma companhia e uma ocupação, assim como casais que ainda não têm ou não podem ter filhos, geralmente são mais felizes com um animal de estimação, não se podendo esquecer ainda das famílias que simplesmente os amam e não saberim viver sem eles, além das muitas outras hipóteses que podem ser verificadas na prática.


Pode-se constatar na atuação de um protetor de animal a própria Constituição da República Federativa do Brasil se concretizando na sua forma mais ampla. A luta dos atuantes na causa animal traduz a busca pelo objetivo fundamental da construção de uma sociedade livre, justa e solidária. Justiça e solidariedade que devem atingir não só os seres humanos, mas também os seres pelos quais estes têm o dever de defender e preservar em sua integridade física e psíquica.

O fundamento da dignidade da pessoa humana acaba se concretizando, muitas vezes, por meio do amor que se origina em razão do sofrimento decorrente das lutas pessoais ou coletivas contra os maus tratos aos animais, ou seja, por meio destas lutas pelo bem estar dos animais conhece-se inúmeras pessoas, suas angústias, suas necessidades, suas carências e acaba-se inexoravelmente por se ter mais solidariedade e preocupação com o sofrimento dos pares, podendo-se atuar para minimizar seu sofrimento. 

Isolados em nossos problemas a cegueira toma conta de nossas mentes, sendo uma de suas curas o próprio sofrimento dos animais necessitados de ajuda humana, uma vez que nos obrigam a buscar uma solução, pelo menos momentânea, em cuja fórmula, os seres humanos estão sempre inseridos.

Apesar do Direito brasileiro ainda considerar os animais como objetos do direito e não sujeitos de direito, afastando sua dignidade e cegando-se para a sua realidade ontológica de seres vivos, mesmo em um momento histórico de conquistas e mudanças sociais e jurídicas, os cidadãos já não concordam com esta terminologia, que serve de barreira à proteção exigida pela moral e até mesmo pela Carta Magna à fauna brasileira. 

Não se pode olvidar que todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos da Constituição de 1988. Muito do que ocorre contemporaneamente então é fruto do comportamento social e dos representantes escolhidos. Mas este é um assunto para outro momento.


Promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação é um objetivo que os protetores de animais conhecem e aprendem já no início de sua atuação, mas de uma forma ampla, visto que, por um lado, visam o bem dos animais - ao optarem por lhes ajudar - e das pessoas, ao optarem por lhes dar a chance de ter um animal doméstico ou de acolher os seus pedidos de ajuda quanto aos animais que já possuem, muitas vezes aconselhando-as, ouvindo suas frustrações e até mesmo atuando para elas gratuitamente no âmbito de sua profissão.


Todavia, por outro lado, acabam por sofrer preconceitos e discriminação, sendo frequentemente indagados da razão pela qual ajudam animais ao invés de ajudar pessoas, especialmente crianças. Uma pergunta claramente errônea desde sua origem, uma vez que parte de pressupostos equivocados. Primeiro, porque como já esclarecido, ajudar e doar animais caminha ao lado de ajudar pessoas. Segundo, porque o trabalho decorrente da proteção animal da forma como é realizado com os animais, seria considerado ilícito se praticado com pessoas. Um exemplo seria comparar o abandono, a retirada de maus tratos e a doação de animais, a qual só pode ser realizada pelo Estado em se tratando de crianças, podendo ser crime ou ilícito civil se feito por particulares. 

Ademais, é importante ressaltar que o constituinte brasileiro e a legislação e a política do nosso país exigem que haja uma divisão protetiva que tangencia não só as crianças, mas os idosos, os deficientes, o meio ambiente, as pessoas em situações de vulnerabilidade etc. Imagine-se um Estado que optasse por proteger somente a esfera jurídica de um deles. Dessa forma, atuar em uma causa, não exclui a atuação em qualquer outra.


O aprendizado é tão abrangente que os protetores de animais aprendem a importância da igualdade, da liberdade, da dignidade, da necessidade da erradicação da pobreza e da redução das desigualdades sociais, pois isto atinge os seres humanos, mas também os seres que lhes são estimados. E é por estes e tantos outros motivos que protetores de animais lutam e ajudam todos os seres vivos. 

Apenas com a promoção da educação, da informação e de uma vida digna às pessoas é que o respeito aos animais irá prosperar efetivamente. Por este motivo, não pergunte a um protetor de animais, o porquê de ele não ter escolhido ajudar pessoas, uma vez que esta pergunta é incabível neste âmbito de atuação, o qual demasiadamente amplo acaba sempre, sem dúvida, por atingir a todos através de sua transcendência.


Luana Michels - Advogada

Mestre em Ciências Criminais

Especialidade em Direitos dos Animais)
Fonte: Bicho de rua (bichoderua.org.br)                                                                                                 

terça-feira, 11 de setembro de 2012

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

A Pureza de um animal........

Infezlimente existem mais Desumanos do que Humanos para reconhecerem a pureza da alma dos animais!

terça-feira, 4 de setembro de 2012

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Assinado!


Hospital veterinário de Porto Alegre será modelo de gestão para o país
(É a promessa do prefeito José Fortunati)

Em parceria da Prefeitura com a iniciativa privada, Porto Alegre terá a partir de 2013 o primeiro hospital público para animais de estimação do Brasil. Na manhã desta segunda-feira (3), o prefeito José Fortunati e o representante da empresa Novavicenza Negócios e Participações, Rodrigo Souza, assinaram Termo de Compromisso para a construção do Hospital Municipal Veterinário Vitória. A previsão é iniciar as obras em novembro, com 10 meses de duração.

O hospital será construído pela iniciativa privada em terreno do município na rua Comendador Tibiriçá, bairro Jardim Botânico, com área de 1,1 mil metros quadrados. O serviço oferecido pela prefeitura, por intermédio da Secretaria Especial dos Direitos Animais (SEDA), incluirá procedimentos de média e alta complexidades, para animais vítimas de maus tratos e atropelamentos.

Para o prefeito, o fortalecimento das políticas públicas para os animais resguarda a saúde da população. “A proliferação de animais gera maus tratos, abandonos e transmissão de doenças. Quando tratamos da questão animal, estamos cuidando da saúde pública dos cidadãos”, enfatizou o prefeito.

O projeto tem ainda as parcerias do Sindicato dos Médicos Veterinários e do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado (SIMVETRS), que colaborou na elaboração do projeto do Vitória. Conforme a primeira-dama Regina Becker, a prioridade do atendimento gratuito será para animais de famílias em vulnerabilidade social, com renda até três salários mínimos. 

Infraestrutura – De acordo com o arquiteto Rodrigo Souza, responsável pelo projeto, o hospital terá quatro salas para cirurgia, duas áreas de preparação e UTI, além das estruturas de triagem, quarentena e canil com capacidade para 120 animais em recuperação. A presidente do SiMVETRS, Maria Angelica Zollin, que apoiou o desenvolvimento da proposta, avaliou o novo serviço como “um marco para a saúde e o bem-estar animal”. 

Este será o primeiro hospital público para animais de estimação do Brasil. Na capital paulista, a Associação de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais (Aclinvepa) criou instituição para atender casos de baixa complexidade. A prefeitura daquela cidade repassa uma verba mensal para atender 70 casos por dia, incluindo consultas, retornos, internações, exames e cirurgias. 

Seda – Há pouco mais de um ano, a Área de Medicina Veterinária da SEDA conta com uma equipe de seis veterinários que atendem, em média, 60 casos por dia, seja para esterilização, cirurgias de risco (tumores e amputações), tratamento quimioterápico e atendimento a animais vítimas de acidentes e atropelamentos.
Fonte: Seda

Vamos ficar de olho pessoal, para sair do papel o projeto e realmente funcionar em favor dos nossos amigos peludos, guardem essa data, previsão de início das obras: em NOVEMBRO de 2012 e com 10 meses de duração! 

1º Hospital Veterinário de Porto Alegre!



Porto Alegre anuncia construção do Hospital Veterinário Vitória!

O prefeito José Fortunati, o secretário da SEDA Urbano Schmitt e a Nova Vicenza Negócios e Participações S.A. assinam, na segunda-feira (3), o Termo de Compromisso para constr
ução do Hospital Veterinário "Vitória". A solenidade acontece às 11h, no Salão Nobre do Paço Municipal.

"Vitória" será construído em um terreno da Prefeitura de 1,1 mil metros localizado na rua Comendador Tibiriçá, bairro Jardim Botânico. Somente a área com bloco cirúrgico e pós-operatório terá em torno de 600 metros. A expectativa da empresa de arquitetura responsável pelo projeto é iniciar obras no início de novembro e entregá-la em 10 meses. 

Este será o primeiro hospital público para animais domésticos do Brasil que atenderá casos de média e alta complexidade. Em que pese a área operacional da SEDA chamar-se Área de Medicina Veterinária, é, na verdade, um hospital público que conta com uma equipe de seis veterinários para atender uma demanda diária de cerca de 80 casos, seja para esterilização; cirurgias de risco (tumores e amputações), tratamento quimioterápico e atendimento a animais vítimas de acidentes e atropelamentos.


Fonte: Seda

Ok Sr. Prefeito José Fortunati, assine e coloque em prática, estamos de olho!
Os nossos amigos peludos agradecem!