Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Amigo Fiel....

Cão é o melhor amigo do Homem

O amor de um cão é algo especial, que só quem tem um sabe do que estou falando, embora muitas pessoas más ainda não tenham sabedoria e sensibilidade para reconhecer o amor que lhes é devotado, mesmo quando são cruéis com esses seres especiais, Que Deus nos enviou para nos ensinar sobre o amor, o perdão, a gratidão e a amizade!
O amor de um cão é algo único, e embora algumas pessoas não o saibam, existe quem saiba e que o diga com toda a certeza.

É o caso de George Graham. É lembrado por seu discurso quando advogava e representava um sujeito, que processava o vizinho por ter assassinado o seu cão.As suas palavras estao gravadas num monumento exterior a um palacio de justiça em Missouri.
Ele disse:

“Senhores do júri, o melhor amigo que um homem tem no mundo pode se voltar contra ele e se tornar seu inimigo. Seu filho, ou filha, que ele criou com amor, podem se mostrar ingratos.
Aqueles que estão mais próximos e são nossos entes mais queridos, aqueles nos quais confiamos nossa felicidade e nosso bom nome podem trair nossa fé. O dinheiro que tem, um homem pode perder, voa para longe. Provavelmente, quando mais se precisa dele.
A reputação de um homem pode ser sacrificada no momento de um ato impensado. As pessoas que estão prontas a cair de joelhos para nos prestar honras podem ser as primeiras a atirar a pedra da injuria quando o erro coloca suas nuvens sobre nossas cabeças.
O único amigo absolutamente altruísta que o homem pode ter nesse mundo egoísta, o único que nunca lhe abandona, o único que nunca se prova ingrato ou falso é seu cão.
O cão de um homem permanece a seu lado na prosperidade e na pobreza, na saúde e na doença. Ele dormira no chão frio, onde os ventos galados do inverno sopram e a neve cai intensamente, só para poder estar perto, ao lado do dono.
Ele beijara a mão que não tem comida alguma a oferecer. Lambera as feridas e machucados que surgem em um encontro com a rispidez do mundo.
Guardara o sono de seu pobre dono como se ele fosse um príncipe, e quando todos os outros amigos o abandonam, ele permanece. Quando a riqueza vai embora e a reputação se estraçalha, ele é tão constante em seu amor quanto o Sol em sua jornada pelos céus.
Se o destino conduz o dono à marginalidade no mundo. Sem amigos e sem lar, o fiel cão não pede mais privilégios do que o de acompanha-lo, guardar-lo contra o perigo, e lutar contra seus inimigos.
E, quando chega a ultima de todas as cenas, e o fim leva o dono em seu abraço, e todo o seu corpo está deitado no chão frio, não interessa, se os outros amigos seguem o seu caminho.
Ali, ao lado do túmulo, o nobre cão será encontrado com a cabeça entre as patas, os olhos tristes, mas abertos, em completo alerta, fiel e verdadeiro até mesmo na morte”